Ministério da Cidadania, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro,
Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS apresentam:

Summit | Relações de longo prazo entre creators e marcas

Co-criação, consistência e autenticidade. Como uma marca pode se conectar de forma mais efetiva com sua público através dos conteúdos dos criadores digitais? Isaque Criscuolo, Content Distribution Strategist do Meio & Mensagem, abriu o painel "Relações de longo prazo entre creators e marcas” propondo uma análise dos participantes a partir das perspectivas da marca, da agência e do criador, com foco em parcerias consistentes.

Para Nayara Ruiz, Gerente de Redes Sociais do Bradesco, o mais importante é a percepção que a marca precisa desenvolver de que comunicar no mundo digital é, essencialmente, saber exatamente o que se quer comunicar, onde, como e para quem. "Criar parcerias que abram espaços para conteúdos co-criados, divulgado e distribuído no meio digital, é uma construção de caminhos de mão dupla e faz todo o sentido para uma marca como o Bradesco se conectar com criadores que produzem conteúdo genuíno para alcançar públicos específicos", afirma Nayara. "Uma marca pode se conectar de forma mais efetiva com sua audiência através da autenticidade da voz e do conteúdo dos criadores digitais, que produzem conteúdo genuíno para alcançar públicos específicos". 

Para o artista, compositor, estilista e empresário Evandro Fióti, diretor artístico da Lab Fantasma, esta nova relação entre a comunicação e os criadores trouxe um grande desafio para as agências que é reconhecer e aproximar seus universos criativos, com propostas de transformação para marcas cujos valores e propostas se afinam com estes universos e com o conteúdo dos criadores. Na experiência de Evandro, “marcas que desenvolvem campanhas que visam única e exclusivamente pelo lado financeiro, tendem a dar errado na grande maioria dos casos", afirma Evandro.

Para Rafael Pitanguy, VP de Criação, Y&R é necessário estudar quem são os criadores cujos trabalhos se alinham genuinamente com a proposta da marca e aí sim trabalhar na construção de uma relação duradoura. Rafael pontua que, segundo uma pesquisa do Youpix, o universo digital possui atualmente cerca de 230 mil influenciadores atuando no mercado e que cabe tanto às marcas quanto às agências pesquisar e estudar esta produção de conteúdos. "Um ponto onde as marcas muitas vezes acabam se confundido e errando é quando tentam fazer a coisa de forma oportunista, se aproveitando de um ponto de vista do criador, que nada tem a ver com marca, para forçar um posicionamento através da voz de outra pessoa", conclui Rafael.

Ministério da Cidadania, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro,
Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura e Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS apresentam:

patrocinadores

fique conectado