EN
EN

Durante primeiro dia do RioContentMarket, economistas do BNDES traçam panorama econômico e apresentam atuação do banco para setor audiovisual

07/03/2017 | Fonte:

Produção brasileira independente atravessa com fôlego economia turbulenta, e excede tempo mínimo de conteúdo na TV paga, estipulada pela Lei 12.485. Também serão apresentadas linhas de crédito para produtoras, no dia 8 de março.

Março de 2017 – Durante sua participação no RioContentMarket 2017, o BNDES apresenta o panorama da indústria audiovisual brasileira em meio ao momento econômico do país. Apesar das atuais turbulências, para o economista Cláudio Leal, superintendente da Área de Indústria e Serviços do banco, o balanço é positivo.

“É um setor que vem passando por uma transformação radical, especialmente no modelo de negócios. Percebemos, inclusive, que o realizado pelas empresas do setor ficou bem acima das 3 horas e 30 minutos semanais de conteúdo nacional determinadas pela a Lei 12.485, o que mostra a boa aceitação e reação positiva do mercado”, explica.  Além disso, a produção independente brasileira já é reconhecida internacionalmente, e  isso é visível nos resultados de exportação de conteúdos e premiações internacionais. Para Claudio, algumas medidas também explicam esse bom desempenho, a exemplo do funding para financiar o setor, tanto o FSA (Fundo Setorial do Audiovisual, mantido pela Ancine e Ministério da Cultura), quanto as linhas de crédito disponibilizadas pelo próprio BNDES.

A apresentação acontece no dia 8, às 15h30, na Sala 1. Estará presente também Luciane Gorgulho, chefe do Departamento de Economia da Cultura do BNDES, com moderação de Adriano Civita, sócio da produtora Pródigo Films e conselheiro federal da BRAVI, entidade realizadora do RioContentMarket. 

Na primeira parte do painel, a ideia é traçar uma fotografia do atual momento econômico brasileiro. “Há ainda um cenário bastante desafiador, com baixo índice de confiança por parte das empresas, taxas de desemprego elevadas e capacidade ociosa da indústria. Mas, embora a economia brasileira ainda inspire cuidados, há alguns sinais positivos que podem ser notados, como queda de juros e projeções de queda de inflação”, explica Leal.

A equipe do BNDES também vai abordar a atuação do banco nesse setor, falando mais especificamente das linhas de financiamento disponíveis, com uma visão prospectiva de negócios e quais são os desafios que ainda precisam ser enfrentados.  A apresentação incluirá também as orientações da nova gestão do BNDES.  “Queremos reforçar a mensagem de que o apoio do banco passa por dotar as empresas de ferramentas de gestão eficientes, para o que o banco vem dedicando bastante energia nesse momento”.

No mesmo dia, o banco de fomento apresenta também o painel ‘Gestão e Governança’, com Gabriel Lourenço, chefe do Departamento de Fundos de Investimentos do BNDES. Ele fala às 10h15 na Sala 2, junto de Cássio Schmitt, diretor de Produtos de Crédito do Banco Santander, e Mayra Lucas, CEO da Glaz Entretenimento, com moderação de Fernanda Farah, gerente do Departamento de Economia da Cultura do BNDES.

Confira aqui a programação completa do RioContentMarket.